Corrupção

CÁRMEN LÚCIA ATENDE A OAB E IMPEDE, NA HORA “H”, A QUEBRA DO SIGILO DE CELULAR BOMBA DA JBS

Uma liminar da ministra Cármen Lúcia impediu nesta terça-feira (14) a quebra de sigilo do celular do ex-diretor jurídico da JBS, Francisco de Assis e Silva.

O pedido de habeas corpus foi apresentado pela OAB, e a liminar foi concedida meia hora antes do procedimento ser levado a efeito na CPI do BNDES.

O aparelho foi apreendido há dois anos pela Polícia Federal e desde então uma luta desesperada da ‘bandidagem’ impede que o seu conteúdo seja conhecido.

Lamentável é ver a OAB apoiando essa situação, na contramão dos anseios da sociedade brasileira.

Nesse sentido, o presidente da CPI, deputado Vanderlei Macris, de São Paulo, se manifestou, logo após tomar conhecimento da decisão da ministra.

“A presidência (da CPI) ainda tem a lamentar que o conselho da OAB possa estar sendo parte de um movimento que, lamentavelmente, vai na contramão do que a sociedade brasileira quer hoje que é a transparência”

Por outro lado, o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, negou ter autorizado que a entidade figurasse no HC encaminhado ao STF para impedir que o celular-bomba do ex-diretor jurídico da JBS Francisco de Assis e Silva tivesse a senha quebrada pela CPI do BNDES — o pedido foi aceito pela ministra Cármen Lúcia.

A OAB fez uma petição desistindo do recurso, mas o HC já havia sido concedido.

  • Fontes: Jornal da Cidade e O Antagonista

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.