O estado absolutista

O Estado Absolutista

Quem pode dizer que vivemos hoje em uma República, onde não temos voto impresso, urnas auditáveis, escrutínio público, os governantes são reeleitos pela indústria da pobreza, leis não são respeitadas pelas mais “altas cortes”, e políticos e amigos de poderosos sempre possuem foro privilegiado por terem proteção de certa parte do judiciário indicado e/ou protegidos por protetorados do nosso Estamento burocrático. Vivemos sim em um estado absolutista da cleptocracia, “criminocracia”, banditismo.

Não temos Livre Mercado, o politicamente correto impregna o livre arbítrio de nossa legítima e lícita manifestação, em tudo o Estado Intervém, Impostos expropriam nossas riquezas, Burocracia destrói nossa competitividade e nosso ânimo em empreender.

Não existe mais nenhum incentivo para que existam empresas honestas sem apadrinhados ou criadas somente para viver do Capitalismo de Estado. Sendo que muitas de nossas grandes empresas surgiram de uma proteção governamental, que fingia ser liberal, mas só transferiu o monopólio do estado, para o monopólio do privado que por fim, financiam seus “protetores”.

E precisamos desmistificar, nunca desfrutamos realmente do Liberalismo Econômico. Tudo foi um engodo, reservado aos Senhores Feudais, as Castas “superiores” dos “Reis” que se “alternam” de 4 em 4 anos (se não contar a reeleição) e seus “amigos”. Temos realmente concorrência no Brasil em muitos setores essenciais? As agências reguladoras foram criadas realmente para proteger os cidadãos ou as Empresas? Acredito que qualquer brasileiro que passou mais de meia hora (com sorte) em um telefone falando com atendente em um 0800 (SAC – Ouvidoria…) por erro da empresa que lhe prestava serviço (ou este nem tinha contratado o serviço e estava sendo cobrado por ele) pode afirmar isso.

O estado absolutista sem lógica

Não há nenhuma lógica em alguém se “aventurar”, em abrir sua própria empresa, empreendimento, se tornar um profissional liberal, autônomo, representar ou distribuir um produto de consumo (digo lícito, pois ilícito até incentivo podemos dizer que esse tem, pois há a muita impunidade).

Entramos em uma espiral, em um ciclo-vicioso de deterioração, de desânimo, e esse era, e é o objetivo desse estado, de seus agentes, desse estamento que foi sendo criado para isso, para cada vez mais acumular esse poder absolutista, cleptocrata, para dar continuidade a dilapidação de nossas riquezas.

Sendo que a maior riqueza desse país não são seus recursos minerais e etc… e sim o seu povo, seus cidadãos. Que no fim, esse povo é utilizado como um “escravo” do estado. Chegamos a um ponto que o estado não está mais para nos servir, e sim nós estamos para servir esse estado paquiderme, perdulário e corrupto.

Esse projeto criminoso está em roubar tudo que o país tem, tudo que produzimos e transformar nossa população em carregadores de pedras para as pirâmides de nossos Faraós que regem ilegitimamente e criminosamente essa nação.

O estado absolutista faminto

Já chegamos ao ponto que o estado está se alimentando de nossas “lágrimas-desespero-desesperança-suor-sangue”, pois somente nossos impostos não suprem mais as “necessidades” expropriatórias para sustentar essa Casta Criminosa que assaltou o país, através de uma falsa democracia.

Não há quem ainda em suas faculdades mentais não chore, ou ao menos tenha seus olhos  lacrimejando vendo esse Genocídio de Inocentes por Criminosos Armados ou por Criminosos de Colarinho Branco quando as vítimas estão no chão dos hospitais sem leitos, sem remédios, sem comida, sem emprego (muitas vezes com experiência e capacitação técnica), começando a viver abaixo da linha da pobreza.

Trabalhamos sol após sol, e tudo que ganhamos já não basta mais, pois a conta da Falência Moral e Financeira de nosso Estado se tornou tão grande, que não conseguimos mais produzir, gerar riquezas de forma suficiente, mesmo com nosso sangue e suor para sobrevivermos e sustentar toda essa “corte”. Pagamos quase R$ 5,00 o litro de uma gasolina de péssima qualidade enquanto nos Estados Unidos o mesmo litro é aproximadamente 0,52 centavos, com maior qualidade (sem contar que o poder aquisitivo do americano chega a ser 27% maior que o nosso).  E alguns Idiotas Úteis, como papagaios em um discurso ufanista ainda batem no peito e gritam o petróleo é nosso! Não imbecil! O petróleo é deles, e você paga muito caro por isso. Quem você acha que está pagando todo o roubo ocorrido na Petrobrás?

“A ignorância é a maior enfermidade do gênero humano.”

Cícero

O estado absolutista e a massa de manobra

E com todo esse cenário vivido diariamente é criado e perpetuado a desesperança, a prostração de uma nação para que não consigamos lutar e nos organizar, para que esse Estado e seus agentes continuem em seu projeto moderno de escravização de um povo, que a meu ver já não está muito longe de se concretizar plenamente. Lembre-se, “a minoria organizada irá sempre derrotar a maioria desorganizada”.

Sim, isso já era pregado por Vladimir Lênin, e quase toda uma nação foi transformada em uma massa de manobra de Idiotas Úteis, enquanto outra ainda desorganizada, tenta lutar para sair dessa escravidão.

“Usaremos  o idiota útil na linha de frente. Iniciaremos o ódio entre as classes. Destruiremos a sua base moral a família e a espiritualidade. Comerão as migalhas que caírem de nossas mesas. Nossa minoria organizada irá sempre derrotar a maioria desorganizada”.

Vladimir Lênin

Sim, vivemos em um tipo de Monarquia Absolutista em que o Rei é Estado através de seus Agentes, e não em uma República Federativa com Políticos eleitos e com um estado para servir o povo. E não maculemos a Monarquia Parlamentarista com um Rei que representa uma nação e Parlamentares eleitos sem fraude que realmente trabalham e servem os cidadãos que os elegeram, e assim merecedores de nosso mandato.

E faço aqui uma observação, não estou defendendo qualquer regime legal de estado, como o melhor nesse artigo – não é este o ponto, pois para muitos este Regime sempre foi ilegal – Golpe de 1889, ou se tornou ilegal durante o tempo de nossa República, por não mais representar o povo conforme nosso artigo 1º, parágrafo único da Constituição Federal de 1988, pois não exercemos mais diretamente nossos direitos (se realmente um dia exercemos ou fomos manobrados para tantos, e também “nossos representantes” não o fazem em sua esmagadora maioria, só buscam proveito próprios ou para terceiros)

Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado democrático de direito e tem como fundamentos:

I –  a soberania;

II –  a cidadania;

III –  a dignidade da pessoa humana;

IV –  os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;

V –  o pluralismo político.

Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, QUE O EXERCE por meio de representantes eleitos OU DIRETAMENTE, nos termos desta Constituição.

O estado absolutista: uma monarquia totalitária

Continuando, vivemos sob o jugo de “Reis” e amigos desses em um Estamento burocrático, establishment, ineficiente de cleptocratas, escravagista de um povo, que tolhe as aspirações de crescimento e liberdade de uma nação, com uma Mídia “Tradicional” (Mainstreaming globalista com ideologia Vermelha sob a cartilha de Gramsci), parcial, com o intuito de sua sobrevivência financeira, tendo em vista seu declínio inevitável em face as mídias alternativas, redes sociais, propiciada pela internet (enquanto ainda houver liberdade nessa), defendendo os Criminosos de estimação com a esperança de manterem a sua retórica falaciosa, falsa, “FakeNews”, como único donos e difusores da “verdade” (deles), e das verbas governamentais em propagandas ou favores na ”rolagens” de dívidas/empréstimos.

“No meio de um povo geralmente corrupto a liberdade não pode durar muito.”

Edmund Burke

E para isso a Mídia Tradicional, porta voz do Rei Tirano que é nosso Estado e seus agentes, agora ganharam um “Órgão” que analisará as FakeNews para censurá-las, com apoio do estamento judicial, o TSE, com censores de viés ideológico claro, com a única intenção de manter nosso “status quo” de escravos dessa “Matrix”, subvertendo a verdade e impossibilitando o real conhecimento, opinião, e reflexão construtiva.

‪“Uma sociedade de CARNEIROS acaba gerando um governo de LOBOS.”

Victor Hugo

Feliz daquele que ainda consegue manter a sanidade mental com toda essa situação, mas sem se abstrair de tudo, pois nesse caso estará sendo cúmplice de tudo isso que está acontecendo, lavando as mais como Pilatos, enquanto uma nação é crucificada sem sequer também ser Santa.

“Para o triunfo do mal só é preciso que os bons homens não façam nada.”

Edmund Burke

Eu ao menos, não vejo como ter paz financeira, mental e espiritual… em um país aonde você é realmente oprimido (não aquela opressão divulgada pelos Idiotas Úteis órfãos do lulopetismo mas adotados na “Temeridade” governamental atual e sonhadores pelo bolivarianismo desde que continuem com seus “iPhones e morando no Leblon”). Como também não me vejo vencido e pronto para desistir do nosso país, do nosso futuro, da liberdade, da possibilidade de sermos felizes; mas para tanto devemos todos que possuem essa consciência trabalhar e se dedicar para o crescimento do indivíduo, para consequentemente o desenvolvimento de uma nação, ao contrário dos autos denominados “progressistas” que lutam pela destruição de tudo que é valoroso, que foi arduamente conquistado e que vem sendo arrasado paulatinamente.

“O conservadorismo advém de um sentimento que toda pessoa madura compartilha com facilidade: a consciência de que as coisas admiráveis são facilmente destruídas, mas não são facilmente criadas. Isso é verdade, sobretudo, em relação às boas coisas que nos chegam como bens coletivos: paz, liberdade, lei, civilidade, espírito público, a segurança da propriedade e da vida familiar, tudo o que depende da cooperação com os demais, visto não termos meios de obtê-las isoladamente. Em relação a tais coisas, o trabalho de destruição é rápido, fácil e recreativo; o labor da criação é lento, árduo e maçante. Esta é uma das lições do século XX. Também é uma razão pela qual os conservadores sofrem desvantagem quando se trata da opinião pública. Sua posição é verdadeira, mas enfadonha; a de seus oponentes é excitante, mas falsa.”

Roger Scruton

O estado absolutista versus a família e o indivíduo

Onde não tem estabilidade profissional, familiar (visto que há problemas diariamente sendo arquitetados como forma de desestruturar essa necessária estrutura para a sociedade, relativizando-a), e não se tem sequer a sensação de segurança, de continuar vivo ou sem ser gravemente ferido (ou de um familiar, amigo), devido à falência também proposital da segurança pública. Questiono, que pai que consegue ficar em paz sabendo que seu filho pode morrer na frente da escola, ou a caminho de casa por causa de um celular, tablet, relógio, tênis ou por simples sadismo doentio das tais “vítimas da sociedade” eternamente impunes e peões nessa reengenharia de desestabilização.

Por fim, enquanto não existir a consciência de todos sobre o verdadeiro problema atual no Brasil e no Mundo, e as pessoas não pararem de se esconder em suas bolhas, não lutarem nessa Guerra Cultural e nos demais frontes exigindo de forma organizada seus direitos, não venceremos a não ser as batalhas que eles desejam perder para criar cortinas de fumaça para que esqueçamos o verdadeiro objetivo a ser perseguido.

Corremos o risco, de repetir a história como na Grécia, Roma… de ter que “abandonar” o território, já devastado por nossos inimigos (que utilizam dessa tática de terra arrasada, como foi usada na invasão da Rússia por Napoleão ou Hitler), para lutar de fora de nossos domínios, para que ainda consigamos ter energia, sanidade e vida para continuar lutando e passarmos de sobreviventes a viventes; e enfim, espero e almejo que nossa civilização queira sair dessa “confortável” ignorância, “Matrix”, em que sua vida foi contextualizada por terceiros que vivem de nosso esforço e as vezes até de seu heroísmo, usando-os contra nós mesmos.

“Quem come do fruto do conhecimento é sempre expulso de algum paraíso.”

Melanie Klein

Raphael Panichi

Raphael Panichi é advogado, jurista, pós-graduado em direito empresarial, constitucional, tecnologia e informação e empresarial. É também presidente jurídico do Movimento Avança Brasil e membro do conselho executivo, conservador, e contra o politicamente correto.

Deixe uma resposta