MANIFESTO EM DEFESA DAS CRIANÇAS, DOS ADOLESCENTES E DA FAMÍLIA BRASILEIRA – Por Mauro Scheer

O Brasil tem vivido atualmente momentos difíceis, tristes e indiscutivelmente preocupantes.

A corrupção que assola nossa pátria não parece ser a causa, mas o efeito de uma sociedade que tem se afastado, dia após dia, dos princípios mais basilares que devem reger as relações humanas, entre os quais destacamos a moralidade e a fraternidade.

Nossas famílias têm sido atacadas de forma vil e torpe, com incrível frequência e de maneira às vezes difícil de ser percebida.

Forças contrárias aos bons costumes e à Justiça têm utilizado subterfúgios e armadilhas para alavancar aquilo que não pode ser aplaudido nem aceito por homens justos, de bons costumes e que tenham por motivação vital a busca pela iluminação.

O Movimento Avança Brasil, no intuito de proteger o bem mais caro e precioso que um homem e uma mulher podem ter – a família – vem a público manifestar sua preocupação com diversos atos, acontecimentos e manifestações que têm ocorrido e que têm vitimado a sociedade brasileira como um todo, mas, além disso, têm atingido de forma especial o futuro de nossa pátria: nossas crianças e adolescentes.

A arte, sem dúvida, não pode e não deve ser censurada. A arte independe da necessidade de aceitação de um gosto em particular, ou seja, o que é “boa arte” para um pode não ser para o outro, mas esse outro deve igualmente respeitá-la.

Todavia, crianças e adolescentes brasileiros precisam ter respeitado seu direito à infância e sua irrefutável e necessária condição de inocência.

Da mesma forma, a escolha sexual de cada ser humano é uma opção dele próprio, que deve ser exercida apenas por ele, sem imposições ou forças externas, sendo necessário afastar de nossas crianças e adolescentes, enquanto estiverem em seu processo de formação moral, emocional, política e psicológica, qualquer tentativa de imposição ou ensinamento de algo que não seja completamente natural ou biológico.

Não faltam leis no Brasil, e indiscutivelmente, essas leis, amparadas por uma lei maior – a Constituição – impedem que crianças e adolescentes tenham contato precoce com situações com as quais não estão, por sua maturidade intelectual e emocional, prontas para compreender, tal como se espera que um adulto seja capaz de compreender.

A Sociedade está atenta ao que está se passando no Brasil e, neste ato, conclamamos a todos os brasileiros e brasileiras a manifestar seu indisponível direito ao esclarecimento, ao pensamento e ao uso da voz.

Quando poucas vozes levantam-se e gritam frases que ofendem nossa moral, devemos refletir que nosso silêncio será compreendido, entre as vozes que gritam, como de nenhuma repercussão e, entre nossos filhos e netos, que sofrerão as consequências no dia de amanhã, como imperdoável covardia e, aos olhos de Deus, como irresponsável uso da vida que nos foi dada.

E, no momento em que o mal percebe que as vozes roucas não falam, ele começa a agir com as mãos, tocando aquilo que é alvo e repleto de candura, transformando a mais límpida água no mais sujo e fétido esgoto humano.

Não podemos nos calar!!!

Brasília, 12 de outubro de 2017.

Mauro Scheer.’.

Deixe uma resposta