A Bastilha Brasileira

Queda da Bastilha

por André Ayres*

Com toda certeza, os nobres da Bastilha de hoje que ocupam o poder, em grande parte, vêm se esquecendo do cenário moribundo do país. Cenário este desumano, onde centenas de  milhares de brasileiros estão passando por pesarosos sofrimentos. Políticos que certamente pensam com seus juízos que escaparam impunes da guilhotina. É crível que haverá a hora de acertar as contas com uma Justiça incorruptível.

Disse um sábio: “A  Justiça desce das Alturas para erguer os justos e abater os injustos. Assim, estes déspostas de hoje deveriam estar enjaulados como predadores de entes humanos.  Não há lugar mais apropriado para estes delinquentes malfeitores do Brasil. Como sabemos, o pão vem faltando nas mesas de muitas famílias, miseráveis, que vivem hoje das migalhas que caem das mesas de tantos lázaros do poder.

Sim, enquanto crianças reviram os lixões, estes se deliciam com brioches, croissants, geleias, e porque não dizer caviar.  Com certeza uma mesa bastante farta: não falta nada a não ser o decoro para com o povo brasileiro.

O que observamos hoje são políticos que, além de nos envergonhar perante o mundo, roubam nossas dignidades. Temos observado uma corrupção que tem como comburente a mais pura ganância, a busca do enriquecimento ilícito a qualquer preço.

Na verdade, tais infames agentes políticos são assassinos. Não de meia dúzia, mas de centenas de milhares de lutadores. Falo de heróis que, desde as primeiras horas da manhã, já se amontoam nos pontos de ônibus ou nas estações dos trens com suas desnutridas marmitas. Uma rotina difícil de suportar, porém, hoje, para muitos, nem este ir e vir é possível de se realizar: não há empregos. Milhares de pessoas foram demitidas pelos seus representantes legais no Judiciário, Legislativo, e Executivo.

Brasília, a Bastilha brasileira
Brasília, a Bastilha brasileira

Temos certeza que a queda da Bastilha não tardará: chegará o dia em que muitos perderão suas cabeças diante de um povo enfurecido e esgotado com tanta rapinagem e podridão moral.

Com toda verdade, se existe um inferno, estes crápulas engravatados da Bastilha — ou de Brasília — estarão por lá, vagando sem suas cabeças, na verdade, fantasmas de inimagináveis remorsos. Tenho certeza que haverá ranger de dentes entre aqueles que prometeram e nada cumpriram.

* André Ayres é membro do Avança Brasil, maçom, empresário, arquiteto, articulista da revista Huzzé e palestrante.

Deixe uma resposta