Hidra vermelha: combata hoje os tentáculos esquerdistas

Combater a Hidra é tarefa que muita gente tenta fazer ao longo da história. Ela é um inimigo versátil que precisa ser combatido.

EDITORIAL

É preciso combater com todas as forças a hidra vermelha que tomou conta do Brasil. Ela tem muitos tentáculos. É preciso conhecê-los para combatê-los.

Enquanto no Brasil se acreditar que o lucro, ou seja, que o ganho é algo ruim pelo qual se deve envergonhar, jamais o Brasil irá para a frente. Não importa o economista, o Brasil precisa de administradores que entendam o quanto de dinheiro entra para poder planejar o quanto que vai sair. Sem essa clareza, não haverá país com o que se possa orgulhar.

O recado é simples: enriquecer no Brasil é pecado. Quanto mais uma empresa lucra, mais imposto ela paga, como se fosse irresponsável gerar valor sem gerar mais impostos. A justificativa? Não há: o modelo é inspirado no que está escrito no Manifesto Comunista de Karl Marx. Os impostos progressivos são o caminho lento e gradual para implantar o comunismo. Já dizia o mestre do caos que possui tantos seguidores no Brasil.

É plantado nas escolas que o lucro, a propriedade privada e as terras são um privilégio. E que é necessário defender ideias obscuras como a “Reforma Agrária”. Esse termo é absurdo, pois esconde a violência de seu significado: a tomada de propriedades pelo estado para a doação dos escolhidos amigos do rei.

Combater a Hidra é tarefa que muita gente tenta fazer ao longo da história. Ela é um inimigo versátil que precisa ser combatido.
Combater a Hidra é tarefa que muita gente tenta fazer ao longo da história. Ela é um inimigo versátil que precisa ser combatido.

Nada é melhor para o povo do que o lucro dos empresários. Tratar esse lucro como um demônio é um equívoco repetido quase que ostensivamente por todos os partidos brasileiros que já não abrem mal dessa ideologia em nossas vidas.

O Brasil é um país comunista e não percebe. Esse editorial vai desmistificar a dura verdade que não quer calar: os militares perderam tudo, pois recusaram-se a enxergar o plano da esquerda para o Brasil.

Agora que você já despertou e sabe o que o plano significa, está na hora de antecipar os próximos passos. É preciso combater todos os tentáculos da esquerda. Um a um. Para que consigamos, combatendo todas as suas pautas, derrotá-la em sua insignificância. Que pautas são essas? Você descobrirá aqui.

A doutrinação escolar: tentáculo da hidra

Os grandes guerrilheiros brasileiros, os que quase pegaram em armas, como ensinava Carlos Marighella, saíram desse esquema de roubar banco e entraram nas escolas e universidades brasileiras. Ocuparam espaços e não querem sair mais.

Ainda que a educação brasileira seja péssima, com a presença da ideologia em todos os ramos da sociedade que se conhece, muitos dos brasileiros já não percebem mais a doutrinação. Que lhes parece natural.

O fim do imposto sindical seria um duro golpe nos militantes comunistas disfarçados de professores
O fim do imposto sindical seria um duro golpe nos militantes comunistas disfarçados de professores

A quantidade de gente que ainda defende ideias de esquerda e as repetem como papagaios é terrível. Os temos mais usados são parecidos com “justiça social”, ” fim do racismo”, “feminismo”, “legalização das drogas”, “reforma agrária”, “função social da propriedade”, “sustentabilidade”.

Poucos percebem que todos esses termos escondem armadilhas: arrecadar mais impostos e permitir que a classe política tenha mais receita. Fazem isso para tornar as pessoas mais dependentes do estado. Com a destruição das famílias, o combate é feito justamente contra os que mais podem combater o estado: as pessoas organizadas que querem proteger a sua renda, o seu bolso, a sua casa, a sua vida.

A doutrinação escolar coloca os filhos contra os pais. Cria rebeldes sem causa, seres andróginos, por vezes desequilibrados e sem uma definição de identidade. Incapacitado para exercer algo produtivo, esses seres estudam para passar em concursos ou arrumam empregos empedernidos. Outros partem para a criminalidade. A educação brasileira cria “revolucionários” que nem sabem para quem estão revolucionando.

Está na hora do Escola Sem Partido.

O desarmamento da população: a hidra homicida

Imagine que você mora num país em que a maioria da população vota, num referendo, contra o desarmamento. E o presidente, de forma absolutamente tresloucada, coloca um projeto de lei de desarmamento e o aprova, contra a vontade da maioria da população.

Num país do mundo mais aguerrido, como digamos, a Tailândia, pessoas iriam às ruas e invadiriam os prédios do governo a pontapés. No Brasil nada foi feito. As pessoas, ainda por cima, entregaram suas armas para centros governamentais para serem “destruídas”. Jamais saberão se suas armas não foram parar na mão de um bandido na rua.

WhatsApp Image 2017-03-24 at 23.29.43
Minha arma, minha vida.

Sem armas, não há como haver legítima defesa no país. Muitos brasileiros ficam maravilhados com bairros inteiros, em países como o Estados Unidos ou Suíça, com casas sem muros, sem grades, sem proteção de seguranças. E imaginam que isso seria possível num lugar como o Brasil.

Nos Estados Unidos isso só ocorre porque os cidadãos possuem armas em casa para se proteger. Isso é normal e é considerado prudente. Afinal está na constituição deles. Os que defendem desarmamento por lá são rapidamente ignorados pelos constitucionalistas americanos.

É preciso revogar o estatuto do desarmamento para que as mortes parem de ocorrer do lado das famílias. É preciso combater o crime e isso é uma função de todos os cidadãos. Todos têm direito a defender a sua propriedade e a sua vida. E o Avança Brasil acredita nisso.

A imigração desenfreada: a hidra destruidora de culturas

A esquerda globalista, no mundo todo, apostou na imigração desenfreada para ganhar votos. Compravam os imigrantes enquanto controlavam os efeitos dos crimes nos países europeus na mídia com o politicamente correto.

À medida em que a Europa se tornou um local onde o jihadismo terrorista ocorre praticamente toda semana, em países como a Suécia, por exemplo, é crime de racismo criticar o radicalismo islâmico. Como se fosse crime denunciar um crime.

A imigração desenfreada não pode começar no Brasil.
A imigração desenfreada não pode começar no Brasil.

Essa falta de realidade está ocorrendo em toda a parte. Nos Estados Unidos, os democratas facilitaram a entrada de imigrantes ilegais que estão cometendo toda sorte de crimes. Trump se elegeu dizendo a verdade sobre isso.

No Brasil, há planos para aumentar a imigração desenfreada, descontrolada e absolutamente inóspita ao cidadão brasileiro. O risco de começarmos a termos aqui os mesmo problemas que outros países estão tendo na Europa é altíssimo. E não faz sentido trazer pessoas com ideologia radical islâmica para um país onde mais de 90% da população é cristã, justamente quem os radicais querem destruir.

Foi anunciado que os suecos receberam cartas em suas casas dizendo que eles tinham a opção de morrer, se converter ao islã ou pagar o imposto dos “infiéis”. Que eles teriam poucos dias para escolher entre essas três opções. O povo sueco está em pânico.

É isso o que o Brasil quer?

A destruição da Lava Jato: a hidra impune

No Brasil, o que o estamento burocrático mais quer é destruir a Lava Jato. Ela representa a transparência que eles detestam. Ela é a investigação que não se quer mais. O constante intento de assassinar reputações de Deltan Dallagnol e de Sérgio Moro é renitente. Não há efeitos consistentes nas tentativas, mas Lula fez isso hoje de novo ao criticar o promotor do MPF responsável pela Lava Jato em Curitiba.

Lava Jato: um dos poucos exemplos de algo que funciona no setor público brasileiro.
Lava Jato: um dos poucos exemplos de algo que funciona no setor público brasileiro.

Combater a tentativa de destruição da Lava Jato tem ficado difícil. Os políticos no legislativo apelaram pela criação de projetos de lei “mágicos” que visam a torná-los eternamente impunes. Por outro lado, no poder Executivo, ministros envolvidos direta ou indiretamente no escândalo agem para limitar o poder, transferir pessoal e, com isso, destruir as investigações da Lava Jato.

A tentativa constante chega à piada do projeto de abuso de autoridade. Trata-se de um escárnio ver políticos gastando o nosso tempo e nosso dinheiro tentando legislar em causa própria. É para isso que estão sendo pagos? Eles são nossos funcionários, nós não somos escravos desses crápulas.

Por isso o apoio à Lava Jato é fundamental para evitar que a classe política a destrua. Porque toda vez que prometem que não irão mexer na Lava Jato é porque estão tramando exatamente isso. E ninguém mais se engana quanto a isso no Brasil.

O discurso do “mais direitos”: a hidra destruindo a riqueza do povo

A verdade é que o Brasil estaria melhor sem previdência pública e sem leis trabalhistas. Aliás, por que tantos brasileiros querem deixar o país e viver em países onde não há essas leis, como Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia e Irlanda?

“Mais direitos” significa menos dinheiro no seu bolso. Não se engane.

Por que são sábios. Leis trabalhistas foram criadas pelo fascista Getúlio Vargas e visam, novamente, a controlar a vida das pessoas. Basicamente todo registro de trabalho nas empresas precisa ir para o governo. Para que? Para controlar o pagamento de impostos e “escravizar as pessoas”. É uma forma de controle. Assim o governo já toma uma parte da sua renda antes que você a veja. E todos concordamos com isso.

Mas deveríamos? Não. “Mais direitos” significa que muito do que você ganha vai para outras pessoas. Significa que você jamais verá toda a riqueza do seu trabalho. Que você não poderá dar tudo o que pode à sua família porque o estado lhe toma quase tudo o que você recebe, e em tudo o que você paga.

Esse discurso de que 13o salário é um direito no Brasil é um absurdo. Basta acrescer 1/12 avos do salário todos os meses e dá na mesma. FGTS é outro absurdo. O dinheiro renderia muito mais se pudéssemos aplicá-lo nós mesmos. Para que reter dinheiro da população nas mãos de péssimos administradores?

As leis trabalhistas do fascista Getúlio Vargas travam o Brasil. É preciso destravar o Brasil.
As leis trabalhistas do fascista Getúlio Vargas travam o Brasil. É preciso destravar o Brasil.

Para sermos tungados. É o que os socialistas no poder têm feito via BNDES, via financiamentos dos mais diversos, tirando dinheiro da previdência, do FGTS, dos Correios, da Petrobrás, da Eletrobrás, de onde quer que seja.

Por isso a defesa da terceirização na direita deve ser clara. Por isso precisamos de reforma da previdência, tributária e das leis trabalhistas para destravar o Brasil. Apenas um país destravado pode crescer. E não vai ser possível se tivermos que trabalhar 150 dias por ano para pagar impostos.

A lista fechada: a hidra eternamente no poder no Brasil

O último absurdo dos globalistas, autocratas e socialistas foi a lista fechada. Uma forma de eternizar caciques de partidos no poder que já não possuem apoio popular. Um equívoco por que o Brasil pagará caro se for aprovado. É óbvio que o povo precisa voltar para a rua para mostrar aos políticos quem é que manda.

Voto em lista fechada é a mesma coisa que implantar o comunismo cubano no Brasil.
Voto em lista fechada é a mesma coisa que implantar o comunismo cubano no Brasil.

Eles não mandam nada e precisam representar o povo. Queremos mais representatividade e não o contrário. Não é difícil de entender. O congresso atual já está cheio de gente que não nos representa. Está na hora de ir embora. Aceitem.

As castas políticas e a infinidade de partidos de esquerda: a hidra disfarçada

Todo país comunistas e socialista cria uma casta política que não sai do poder. Alguns poucos são substituídos, mas a maioria de tiranos fica sempre lá. Trata-se de um colegiado de Xerxes, os assessores de um führer desconhecido. Ou bem conhecido.

Partidos satélites da esquerda hoje são muitos. Já dá para se perder. É preciso, portanto, evitar algumas armadilhas. Uma delas foi a do comunismo se esconder por trás do trabalhismo. Outra foi a total ocupação de espaços que eles fizeram na política para garantir que até mesmo a suposta “oposição” de partidos como PSDB fosse forjada.

Fundo partidário é uma armadilha para manter os mesmos caciques de sempre no poder.
Fundo partidário é uma armadilha para manter os mesmos caciques de sempre no poder.

Hoje sabemos: FHC e Lula jamais foram adversários. E a sucessão do segundo, para o primeiro, foi motivo de quase ir às lágrimas. Para FHC, Lula é a figura do “ditador do proletariado” perfeito. O sonho de suas fantasias uspianas mais íntimas. A realização de Gramsci em pleno solo tupiniquim.

Para os partidos da “base aliada” do esquerdismo, estar cada vez mais à esquerda é sinal de “progresso”. Ainda que no Brasil se escreva da esquerda para a direita, essas pessoas insistem em achar que são chinesas. Pois não somos. E o brasileiro já despertou para a triste realidade da estrutura partidária brasileira.

Feita para premiar com fundos partidários cada vez maiores partidos que possuem muitos acusados na Lava Jato, é preciso reconhecer que está tudo errado. Essa casta política não pode acreditar que os brasileiros irão aceitar tudo o que eles fazem calados. A verdade está saindo e já não é possível mais escondê-las. Por isso é preciso voltar as ruas para combater todos os tentáculos da hidra. Esses e todos os outros que existirem.

Não há mais tempo a perder. A hidra precisa ser combatida.

One Reply to “Hidra vermelha: combata hoje os tentáculos esquerdistas”

  1. Tudo o que precisamos fazer e pelo que temos lutado em nossas vidas. Tenho proposto adicionalmente uma reforma política que contenha o fim dos partidos. Vamos à luta.

Deixe uma resposta