Terrorismo no Brasil: Crime, Ideologia e Desarmamento

O terrorismo no Brasil: causas de sempre

EDITORIAL

O terrorismo no Brasil tem sido frequentemente ignorado, ainda que existam muitos matizes de atuação terrorista na História do país. A começar pelo atentado do Aeroporto de Guararapes, que mutilou e feriu 14 brasileiros, matando 2. Eles nada tinham nada a ver com a luta ideológica da esquerda comunista radical brasileira em 1966.

Havia apenas dois anos que o governo comunista de João Goulart havia sido deposto por uma intervenção militar. Membros comunistas de governo e da Câmara foram demovidos de seus cargos. A atuação dos grupos políticos de esquerda, que já tentavam implantar um projeto de poder de duração de décadas no país, resultou numa resposta radical após considerável número de pessoas terem ido às ruas pedir o fim das experiências socialistas no Brasil.

Essas experiências culminaram na romantização do banditismo. Esse processo, ainda que lento, é cruel e tem demonstrado seus efeitos na prática e em números. Com algo em torno de 60 mil homicídios anuais, nesse ritmo, chegaremos a meio milhão de mortos em uma década. Isso não faz o menor sentido. Porém, o terrorista brasileiro, o bandido que ameaça, o radical que atira rojões e mata cinegrafistas é visto por muitos como verdadeiros românticos.

Os bandidos dos fuzis são a guarda revolucionária dos bandidos das salas com ar condicionado dos partidos

Faz tempo que a romantização do banditismo tem produzido, senão uma arte bandida, também uma cultura do crime. Cercada por livros, música, teses de mestrado, danças e festas, essa indústria do crime movimenta bilhões de reais no país no todo. Não se trata só de uma ou duas artes. Se trata de um procedimento contínuo com o intuito de vender a imagem de que ser ruim é bom. E de que ser honesto é ser idiota.

Essa postura “revolucionária” vem sendo implantada em nossa classe política com o intuito de destruí-la. Desmoralizar todo mundo é uma tática criada pelos comunistas para a tomada de poder. Apresentar-se como a única solução moral diante de um mundo de imoralidades é sair-se como semi-honesto. A postura de muitos no Brasil ainda é essa: antes alguma honestidade do que nenhuma.

Por isso os bandidos de fuzis existem. Eles permitem o contrabando, o descaminho, os negócios que não pagam impostos, as propinas para as forças de segurança e políticos, a compra de juízes, promotores e testemunhas. Tudo em nome de uma permanência no jogo. De uma perpetuação de uma ideologia radical no poder no Brasil.

Essa ideologia de esquerda revolucionária chega a falar em legalização de todas as drogas. Como se o apocalipse zumbi de cidadãos fumando crack fosse algo relevante e culturalmente elevado. Propõem o caos, pois querem se apresentar como a falsa ordem.

O problema dos que criam o caos para ganhar o poder é que acabam se acostumando a apenas criar o caos.

O terrorismo no Brasil é o crime organizado associado a ONGs sustentadas por George Soros

O terrorismo no Brasil atual é o crime. Nosso crime organizado aterroriza o estado com armas de alto calibre, bombas, granadas e alto número de munições. Aterroriza as pessoas que não têm paz em tantas partes do país. E agora, com greve de policiais, começa a aterrorizar a população desarmada por Lula e o PT.

Não nos espanta, aliás, que vídeos como o abaixo sejam publicados pelo grupo “Mídia Ninja”. Trata-se de um grupo financiado por George Soros. Ou seja, eles publicam vídeos para aterrorizar a população. Mesmo que sejam vídeos que mostrem situações grotescas, procuram engrandecer os seus achados com manchetes sensacionais. Mostram mulheres filmando vídeos segurando o celular de pé, em vez de deitado, proporcionando, no ângulo estreita, uma estreita interpretação da realidade.

Fazem isso para disfarçar. Isso não é nada. Está na cara de que o que está acontecendo no Espírito Santo é pura estratégia de agitação e propaganda. Orquestrada por partidos políticos, tem como objetivo as eleições de 2018 no estado do Espírito Santo. Fazem isso por meio de ideologias de sindicato. Organizar greves de policiais após o desarmamento da população é um crime típico de agentes comunistas, que assim já fizeram em tantos outros países para incitar milícias criminosas.

Saber que o Mídia Ninja está publicando vídeos como o de abaixo é, de fato, revelador. Mostra que essas ONGs e parte de nossa mídia estão comprometidos com o crime, com as drogas, com o prazer e com o hedonismo. Acreditam num governo central forte que tome decisões drásticas. Tudo para satisfazer os seus próprios egos sádicos de verem sofrer quem os comunistas não gostam.

O Grupo TERNUMA sabia do que viria no Brasil

Ao manter um site que mostra que grande parte dos terroristas do passado estão hoje em posição de poder e em partidos de esquerda, o grupo TERNUMA, ou “Terrorismo Nunca Mais”, sabia do que viria para o Brasil do século 21.

hqdefaulte
Terrorismo no Brasil: a mesma causa de sempre

Afinal os antigos terroristas jamais mudaram de ideia. Apenas partiram para o terrorismo educacional e psicológico que ajudou a manter uma estrutura terrível no poder. Agora mais consolidada, ainda que sem conseguir manter o poder em suas mãos, os antigos terroristas partem para suas antigas táticas para tentar recuperar o poder.

Querem criar o caos novamente. Para isso contam com estudantes menores doutrinados para fazer a revolução. Gente que atira rojões em cinegrafistas, por exemplo. Radicais sem sentido que não sabem se comportar como seres humanos. Certamente alguns até mereciam longos períodos na cadeia. Algo que não deve acontecer tão rapidamente.

Nossos antigos terroristas inclusive chegam a disfarçar. Dizem que não são terroristas e depois dizem que foi em nome da democracia. São grandes mentirosos, que precisaram de uma “Comissão da Verdade” para poder mentir.

A História do Brasil terá sérios problemas para que a verdade prevaleça. Mas, no fim, a verdade prevalecerá.

 

Deixe uma resposta