Maduro fecha a fronteira e quase cem pessoas já recorreram ao consulado brasileiro.

Por veja.com

Venezuela impede que brasileiros retornem do país.

Maduro fecha a fronteira e quase cem pessoas já recorreram ao consulado brasileiro. Esse número pode aumentar, segundo previsões das autoridades.

Engolfado em uma crise financeira, política e institucional, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, coloca a culpa em inimigos externos para justificar o fracasso do chavismo. A última ação coordenada por Maduro, para desviar atenção para os problemas de seus país, foi a de fechar a fronteira com o Brasil.

No sábado, o presidente Nicolás Maduro anunciou que a fronteira ficará fechada até o dia 2 de janeiro, de 2017. Podendo, ainda, prorrogar esse prazo.

O presidente venezuelano justifica a medida como necessária para combater a ação de “máfias” que estariam enviando para fora do país milhões de bolívares em espécie, como forma de “desestabilizar” o seu governo.

A medida impactou diretamente milhares de brasileiros que vivem na Venezuela. Até a tarde deste domingo, uma centena de pessoas recorreram ao vice-consulado do Brasil, na cidade de Santa Elena de Uiarén, em busca de ajuda.

Autoridades de Roraima ouvidas pela reportagem temem que a situação se agrave. Dezenas de ônibus de turismo deixam o Brasil em direção ao país vizinho todas as semanas. Estima-se que centenas de brasileiros podem ter problemas para voltar para suas casas, caso a medida não seja revertida.

Maduro também fechou a fronteira com a Colômbia. Esta é a segunda fez neste ano que o mandatário toma essa decisão. No início do ano, a medida levou a Venezuela à beira do caos, pois devido à falta de alimentos e insumos básicos, os venezuelanos recorriam diariamente à Colômbia para comprar comida. Somados, os períodos de interdição chegam a um ano de duração.

Nos últimos meses, mais de 30 000 venezuelanos atravessaram por terra a fronteira seca com o Brasil. Depois de Pacaraima, milhares deles seguiram em direção à capital de Roraima, Boa Vista, onde passaram a mendigar nas ruas.

Enquanto isso, Maduro delira. Afirma que os serviços de inteligência de seu país têm provas que existem galpões repletos de notas de 100 pesos. Esses depósitos de dinheiro estariam localizados na Colômbia, Brasil, Suíça e Alemanha.

Maduro chegou a dizer que as “máfias” estariam usando papel venezuelano para falsificar dólares que invadem o mercado local.

Deixe uma resposta