Defensores de ditadores merecem se destruir

Defensores de ditadores merecem se destruir.

EDITORIAL

Defensores de ditadores hoje resolveram mostrar quem são. Invadindo o MEC, promoveram cenas de terrorismo que não tínhamos visto no século 21. Naquele fatídico ano era decretado o Ato Institucional número 5. Neste ano, a Câmara tentava votar as 10 medidas contra a corrupção, e o Senado a PEC 55.

A necessidade de medidas drásticas são sempre momentos críticos na história de nosso país.

A desordem, o caos, a agitação e a propaganda promovidas por defensores da ditadura de Fidel Castro não surgem do nada. Tudo é financiado por George Soros, o grande mago da esquerda globalista daqui e dos Estados Unidos. O modus operandi dessa gente é o mesmo aqui ou do Estados Unidos. E agora a imitação começa a acontecer no ataque a policiais.

A novidade aqui foi o ataque ao MEC. Sem coragem de invadir o Senado e a Câmara, reforçados por segurança militar eficaz, partiram para os prédios dos ministérios que estavam ao redor. Essa é a estratégia dos black blocs de sempre: partir para as ruas da vizinhança, dispersar, e provocar a destruição e o vandalismo.

Defensores de Ditadores, Mídia Ninja e a atuação dos radicais de extrema esquerda aqui e nos Estados Unidos

Fizeram o mesmo em várias cidades americanas em 2016. Estão querendo provocar uma guerra civil, porém ninguém quer brigar com eles. Esfaquearam um policial, mas os policiais não mataram ninguém. Apenas tentam manter a ordem. A esquerda, porém, quer transformar isso numa guerra e subverter a ordem. Repetem os radicais de extrema esquerda americanos. Usam do terrorismo como arma para calar os que pensam diferente. Não lograrão êxito.

Defensores de ditadores e a PEC 55

Eles eram contra. Mas de nada adiantou o mimimi. O Senado aprovou a PEC 55 em 1o turno.

É visível que o Mídia Ninja tinha um plano: o de impedir a votação no senado. A página não se conformou quando viu que a sessão parecia transcorrer normalmente.

Depois postaram que perderam essa batalha com a hashtag #OcupaBrasília. Sabemos os planos deles. Mas não servirão para nada, pois são sementes plantadas em terreno infértil.

Defensores de ditadores acreditam em supremas cortes que legislam

Quando o judiciário legisla, o parlamento executa e o executivo legisla, temos um perfeito estado de distopia. Estamos vivendo isso agora, quando o governo parece ser capaz apenas de agir por medidas provisórias, o congresso executa ações importantes e vota leis que mudam a estrutura do país para evitar que ele quebre, e a suprema corte legisla, temos aí alguns problemas.

Em primeiro lugar, a decisão do STF hoje de permitir o aborto até 3 meses é de um equívoco gigantesco. Em primeiro lugar, não se trata de aborto, mas permitir o assassinato de bebês. Em segundo lugar, não é possível a suprema corte permitir tal coisa, já que nossas leis proíbem o assassinato. Em terceiro lugar, o STF jamais vai obrigar qualquer médico a se tornar assassino só porque alguns juízes de esquerda querem.

Em toda ditadura de esquerda, um dos primeiros passos rapidamente adotados é a liberação do aborto. Tudo porque o aborto é uma forma de se fazer o que a esquerda mais gosta: a eugenia. A busca da raça perfeita, do ser humano que só possa viver em condições plenamente ideais dentro de uma ideia de raça perfeita e de povo perfeito.

Defensores de ditadores sempre acabam no mesmo projeto de Hitler, Stalin e Mengele

Os esquerdistas não são muito diferentes dos homens de Esparta. Os espartanos chegavam ao cúmulo de assassinar bebês com má formação, atirando-os em poços de piche. Esse tipo de crueldade é o que a esquerda busca. O objetivo é procurar construir o “homem perfeito”. Bobagem. O objetivo é escravizar cada vez mais gente e impedir que futuros inimigos do governo sequer nasçam.

Quanto mais livre é um novo homem ou mulher, menos forte é um regime ditatorial. A esquerda não quer que você descubra que ter filhos e formar família leva à evolução da renda, da riqueza e da força das famílias na sociedade.

O que a esquerda mais quer, com a permissão do aborto, é criar um caminho para que menos famílias existam. Com menos famílias, mais gente vai depender do estado, do governo, da assistência, dos serviços públicos e dos benefícios. Assim a esquerda vicia a humanidade com suas mortadelas eternas. Até que o povo começa a descobrir o quanto essas mortadelas são mal cheirosas.

Defensores de ditadores e a Polícia Militar

Foram os militantes esquerdistas começar o quebra-quebra, já começaram a cantar hinos a favor do fim da Polícia Militar.

Apanharam. Mas não desistiram dos planos de invadir alguma coisa. Com a tática black bloc, ensinada pelas ONGs moveon.org e Mídia Ninja, são financiados por George Soros, pelos Clinton e pela Escola de Frankfurt. Ensinam os jovens a serem terroristas de extrema esquerda.

Quando invadiram o Ministério da Educação, deixaram claro que isso é tudo o que eles não têm. Trata-se de gente sem família, sem noção, sem medo e sem escrúpulos que faz esse tipo de coisa. Aterrorizar o pessoal do MEC só porque eles querem? Ocupar o MEC e todos os prédios nacionais? Isso é um grande terrorismo. E eles serão vencidos na base da lei.

As 10 medidas e o luto nacional

Os defensores de ditadores não respeitaram o luto nacional devido à morte dos jogadores, jornalistas, equipe técnica e funcionários do clube Chapecoense, que morreram numa serra andina na região de Antioquia, na Colômbia.

Uma tragédia que jamais será esquecida. Felizmente até porque o Brasil quer esquecer que existem radicais de extrema esquerda entre nós sem trabalhar, sem produzir e só fazendo a polícia gastar dinheiro com bombas e balas de borracha.

Descurta a página do Catraca Livre
Descurta a página do Catraca Livre

Na nossa opinião, os radicais de extrema esquerda deveriam pagar impostos mais altos por serem alvo das balas de borracha. A bala de borracha é muito pouco. Eles ainda deveriam pagar por elas uma multa por serem esse tipo de crápula.

Esse que tentou esfaquear um policial, então, merece ser punido com muitos anos de cadeia. Iremos torcer e trabalhar para que esse assassino seja preso. E que pague todos os custos de remédios e hospitalares do PM esfaqueado.

Depois eles que peçam reembolso para o George Soros.

As 10 medidas estão sendo subvertidas pela esquerda. De novo.

A Câmara ainda trabalha nas 10 medidas. Os trabalhos transcorrerão madrugada adentro.

O Congresso inteiro precisa perceber que não é possível pegar um projeto de lei, pelo qual mais de 2,4 milhões de pessoas assinaram, e alterá-lo de qualquer jeito. Haverá consequências graves caso isso seja feito.

No fim, precisamos urgentemente é votar o Fim do Foro Privilegiado. Essa medida é uma das que reduziria enormemente a impunidade e é relativamente simples.

Reduzir o poder da Suprema Corte e aumentar o poder da Justiça é um dos caminhos viáveis para fazer avançar o Brasil.

Assista à discussão sobre as dez medidas na Câmara.

A dica final que damos aos defensores de ditadores é: vão viver nos países onde há o socialismo que vocês tanto querem. Vejam como é. Depois voltem para cá e decidam se é isso mesmo o que querem para as suas vidas.

 

 

Deixe uma resposta