A morte do movimento comunista

A morte do movimento comunista

EDITORIAL

A morte do movimento comunista é uma realidade no mundo de hoje. Esse movimento havia superado a ideia de partido único no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa. Adotou uma estratégia multi-partidária e com ideologias distintas.

Aqui e ali resolveu dar outros nomes ao mal que defendem. Em alguns lugares, chamaram de socialismo. Em outro, de socialismo democrático. Em outros ainda, de socialismo “liberal”. Como se houvesse a possibilidade de regimes socialistas conviveram com a liberdade das pessoas.

Nenhum desses tipos de socialismo significa que as ideias foram renovadas e que agora tudo vai funcionar. Nenhum desses modelos funcionou. E nem funcionará. Pois qualquer partido socialista, ao ganhar eleições, começa a colocar pessoas dos seus quadros ocupando cargos públicos estratégicos. Eles sabem, como ninguém, formar estamentos burocráticos que irão dominar o poder, mesmo sem eleições.

A morte do movimento comunista
A morte do movimento comunista representada na figura de um de seus principais líderes na América Latina

É esse estamento burocrático que tem defendido ideias radicais de extrema esquerda, como o fim das religiões, o ataque ao cristianismo, o estímulo ao prazer do álcool, das drogas e do sexo e muito mais.

Tudo com o objetivo de tornar o país onde estão no poder o mais próximo possível do que está descrito, afinal, no Manifesto Comunista de Marx. Socialismo democrático? Não passa da uma subversão mentirosa, pois é impossível o socialismo ser democrático se o objetivo dos socialistas é sempre ter mais e mais poder e influência na sociedade.

A morte do movimento comunista e a morte de Fidel Castro

Com a morte de Fidel Castro, o comunismo do século 20 perde o seu principal líder. Apesar de ter implantado em Cuba um regime comunistas monárquico, já que seu irmão ficou com o poder quase que de forma hereditária, o que ocorre em Cuba não é nada diferente do que vem ocorrendo na Coréia do Norte.

O modelo cubano, no entanto, pode estar próximo do fim. A partir do momento em que a família Castro perde poder e influência, abre-se espaço para que o regime comece a permitir ao povo cubano mais liberdades. Afinal Cuba não poderia jamais viver para sempre como uma grande prisão, com o seu povo feito de escravo pelo governo.

A comemoração em Miami dos cubanos que fugiram do regime comunista de Fidel Castro é prova de que muita gente está cansada do regime. A ausência de manifestações oriundas de Cuba jamais nem poderá ser conhecida, já que até mesmo jornalistas que foram até lá cobrir o velório desse “grande líder”, de acordo com a grande mídia, não têm acesso à internet para contar tudo o que vem ocorrendo por lá.

A morte do movimento comunista no Brasil

O impeachment da Dilma, a aprovação de leis que diminuem a corrupção, a PEC 55/241 que reduz os gastos do governo e outras iniciativas irão estrangular o projeto de dominação do poder que os comunistas brasileiros possuem.

Os comunistas daqui estão, principalmente, no PT e no PCdoB. Mas também existem comunistas no PDT, PMDB, PSDB, DEM e em outros partidos.

Lembrarmo-nos dessa realidade facilitará o entendimento do que porquê o comunismo pode ter sofrido duros golpes, mas ainda está longe de terminar. O trabalho a ser feito na política, nas universidades, nas escolas e nas famílias está apenas começando. A hora do descanso ainda não chegou.

Enquanto ainda houver políticos que defendem bandidos, ficará muito difícil para o Brasil dizer que o comunismo já morreu por aqui. Ainda não. Preocupa o fato da maioria dos comunistas brasileiros já assumirem posturas de extrema esquerda.

Nesse aspecto, quem você vai escolher? É necessário que escolhamos pela morte do movimento comunista, presentes em vários partidos. Aqui segue um exemplo de um comunista do PMDB e a diferença entre ele e um político de direita.

A morte do comunismo no Brasil e os movimentos democráticos e cidadãos

O Avança Brasil, o Nas Ruas, o Terça Livre, o Acorda Brasil, o Movimento Federalista e o Movimento Escola Sem Partido estiveram presentes no Primeiro Painel do Avança Brasil em Caxias do Sul, RS.

Assista à parte 1 abaixo com palestras da Joice Hasselmann, Carla Zambelli, Eduardo Mauat, Allan dos Santos e alguns membros do Avança Brasil.

Na segunda parte, tivemos Thomas Korontai, Luiz Philippe de Orleans e Bragança e Miguel Nagib falando, respectivamente, do federalismo, da nossa constituição atual e do que precisamos melhorar, e do projeto Escola Sem Partido. Assista a parte 2 abaixo.

Essas ideias desse painel podem enterrar o projeto comunista brasileiro de vez, retirando dele toda a força e toda a retroalimentação que os comunistas fazem com os nossos jovens. Sem doutrinação, finalmente teremos jovens preparados nas escolas para serem profissionais de verdade.

É preciso que busquemos alternativas para a juventude doutrinada. Do contrário, crescerão dependentes de um estado-babá, sem jamais conseguir sua independência financeira.

O movimento comunista é uma religião que exige dedicação total de seus membros. A morte do movimento comunista liberará os seus membros da escravidão.

O movimento comunista é sim uma espécie de religião. Possui seus livros sagrados, seus mitos e suas missas. O membro do movimento precisa trabalhar o tempo todo para o movimento. São missões, tarefas e ações secretas que servem para alimentar o partido de novos membros, bem como atuar em missões de justiçamento.

A entrevista abaixo de Eduardo Jorge é clara. Ele explica como saiu de uma formação católica rigorosa e, com 17, 18 anos, passou a rezar na igreja comunista. Entenda essa entrevista de Eduardo Jorge e sua tentativa de resgatar valores da esquerda dentro de uma democracia. O socialismo democrático, como vimos acima no vídeo de Steven Crowder, é apenas um pouco mais lento, mas escraviza o povo da mesma maneira.

Assim como Eduardo Jorge fala a verdade sobre o movimento comunista, outro ex-radical, Fernando Gabeira, também tem falado a verdade sobre o movimento. Veja abaixo nessa entrevista.

A morte do movimento comunista e de sua religião ateia marxista

Os comunistas, na verdade, são uma religião atéia que não necessariamente tem a ver com o ateísmo racional. O comunismo é uma religião por si só. É um ateísmo específico, materialista e baseado na filosofia marxista, de Gramsci e da Escola de Frankfurt.

Esse ateísmo está presente até hoje em nossas vidas por meio do comunismo. É esse tipo de ateísmo marxista que têm destruído a civilização ocidental por dentro. Trata-se de uma espécie de verme, que vai corroendo por dentro a nossa civilização, nossas famílias e nossas vidas individuais. Eles se alimentam da nossa liberdade.

Se o comunismo é uma religião que vê Deus como um coletivo, então não se trata sequer de ateísmo. Esse é o ponto do vídeo acima.

A morte do movimento comunista e os defensores do socialismo e do comunismo no Brasil

Após a morte de Fidel Castro, ficou claro para o Brasil quem são os membros do movimento comunista que ainda estão no PSDB.

Enquanto Donald Trump disse a verdade e declarou que Fidel Castro foi um ditador brutal e Bolsonaro declarou que Fidel Castro deve ter ido parar no inferno, os esquerdistas brasileiros não resistiram em manifestar apoio à ditadura cubana.

Por mais que vivam dizendo ser contra a suposta “ditadura militar” do Brasil e do Chile, continuam enaltecendo a ditadura militar cubana que segue com toda a força.

Tratam-se de Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso, esquerdistas brasileiros que declararam Fidel como um “grande líder”, e não um “brutal ditador”. Essa falta de verdade nos discursos ligam o nosso alerta: para essas pessoas, uma ditadura militar socialista seria bem vinda. Essas pessoas jamais merecerão nossos votos.

É preciso que combatamos esses políticos que se disfarçam como uma falsa direita no país. Precisamos, sim, de mais Bolsonaro, mais Major Olímpio, mais Domingos Sávio, mais Onyx Lorenzoni e tantos outros que querem, de fato, lutar por um Brasil melhor.

Que assim seja.

Portanto, se defende ditador militar comunista e rejeita o regime militar brasileiro que nem ditadura foi direito, conclui-se de que se trata de um membro do movimento comunista. E, como tal, estes serão devidamente criticados e expostos. Por defender ideologias tiranas, projetos de poder e outros absurdos.

A morte do comunista está desesperando a esquerda. Mas ela está perdendo totalmente as batalhas. E perderá a guerra.

2 Replies to “A morte do movimento comunista”

  1. Luiz Antonio Facchini says: Responder

    Até quando a juventude continuará sendo submetida a “Lavagens Cerebrais” por escolas e professores doutrinados pelos Comunistas/Socialistas? Nada mudará se não cortar essa corrente maligna!

Deixe uma resposta