Odebrecht negocia maior acordo do mundo

Odebrecht pode fechar o maior acordo do mundo

EDITORIAL

O Avança Brasil Maçons resolveu se debruçar sobre o maior acordo já realizado no mundo em uma investigação anti-corrupção.

Trata-se do acordo da Odebrecht. A empresa é suspeita de pagar propina em uma dezena de países. A empresa já está negociando acordo de leniência com investigadores dos Estados Unidos, Suíça e Brasil. Só na Suíça o valor da multa pode chegar a 6 bilhões.

Para o brasileiro que ainda não percebeu no que vai dar, isso deve pegar muita gente de surpresa. São muitos políticos com foro privilegiado envolvidos nessa delação. Ela colocará em xeque, não somente esses políticos, mas todas as instituições que têm garantido a impunidade dos mesmos. Haverão elas de se calar diante dos fatos?

Maior acordo do mundo irá sobrar para todo o mundo

A delação é positiva para a economia do Brasil: um mercado mais transparente e a noção de que as empresas não conseguirão fugir da lei para sempre colocará em risco os negócios escusos com políticos.

Avizinha-se não apenas a destruição de um estamento burocrático no Brasil. É possível, também, que precisemos rever o nosso modelo de país e a nossa constituição. É preciso garantir a propriedade privada e dar garantias judiciais disso. É preciso ter mais força a noção de liberdade de expressão. E os políticos precisam deixar de ter foro privilegiado.

O voto distrital é outra mudança super importante, pois aumenta a representatividade da classe político. Hoje não nos sentimos representados. O motivo? Uma grande quantidade de políticos sem voto eleitos por meio do sistema. É preciso mudar o sistema, garantindo debates e maior capilaridade da política nacional.

Reforma política na agenda do dia

Está na agenda do dia tratarmos do assunto da reforma política. Voto distrital, voto impresso e fim do foro privilegiado devem se somar às 10 medidas para gerar mais punição aos desviadores do dinheiro dos pagadores de impostos.

Se isso não for feito, a realidade é que o país irá continuar travando. É preciso mudar o sistema completamente. Inclusive a nossa previdência, que deveria ser controlada por fundos privados e garantindo que os clientes, nós, possamos trocar de fornecedor caso não queiramos uma empresa específica.

É preciso ter coragem para dizer que serviços financeiros na mão do Estado não funciona. Olha como rende mal o nosso FGTS. É necessário rever todos os modelos que estamos executando. É preciso que a delação da Odebrecht estimule o Brasil a voltar a fazer sentido.

Antes da Odebrecht, um país sem sentido. Após a delação da Odebrecht, um país vivo

Estávamos mortos na mentira. A mentira tem a capacidade de amortecer e anestesiar. A verdade sempre agita. Sempre há movimento na verdade. E é o tanto de verdades a que o brasileiro está sendo exposto recentemente que a tendência natural é o movimentar-se. Sair da inércia.

O Brasil está saindo de uma inércia de décadas. E não se trata apenas de um problema de um único partido, o PT. Trata-se de um acordo de cavalheiros que ainda existe entre PT e PSDB que está travando o Brasil.

Enquanto tivermos falsa competição na política, com tantos candidatos de esquerda dominando os discursos e ocupando todas as oposições, o Brasil jamais terá debate de verdade. Continuará apenas combatendo as ações da esquerda e, com isso, dando a eles a legitimidade que não possuem.

Que estamos acordados, não resta dúvida. Para onde vamos agora é simples de entender: vamos rumo à liberdade, à transparência e à alta qualidade nos serviços públicos.

E vamos agora!

 

Deixe uma resposta