Trump sofre atentado de filiado dos democratas em comício

Trump sofre atentado em Reno, Nevada, durante comício

Trump teve de ser removido do palco do comício às pressas durante evento em Reno, no estado de Nevada.

No vídeo acima é possível notar que Trump perde o fio da meada no discurso quando a sombra de uma arma aparece projetada no púlpito, bem como sombras de uma mão apontando para a arma.

O suspeito Austyn Crites, segundo o site InfoWars,  é um militante anti-Trump registrado como filiado do partido Democratas nos Estados Unidos.

Crites foi levado em custória e encaminhado à polícia. Depois foi liberado. Foi constatado que ele só queria mesmo era causar confusão no comício. Dado que, anteriormente foram encontrados e-mails de John Podesta a organizadores de confusões em comício, a investigação agora irá trabalhar com possível envolvimento da equipe da campanha de Hillary nessa confusão.

Além disso, o nome de Austyn Crites apareceu numa planilha em arquivos do Wikileaks. Seu envolvimento está mais do que explícito de várias maneiras.

Trump não se deixou abater e voltou ao comício

Apesar do ocorrido, Trump acabou voltando e terminou o seu discurso no comício em Reno.

Ele voltou ao palco dizendo: “Ninguém disse que ia ser fácil para nós, mas nunca seremos interrompidos. Nunca, jamais seremos interrompidos. Quero agradecer o serviço secreto. Esses caras são fantásticos – eles não ganham créditos o suficiente.”

A campanha americana nunca foi tão acirrada. Trump está bancando praticamente sozinho a sua campanha, mas Hillary tem sido bancada por todas as grandes corporações americanas. Ao combater uma elite sozinho dessa maneira, Trump conta com o Serviço Secreto americano para garantir a sua proteção.

A esquerda, como se sabe, tem o costume de apelar à violência quando as coisas não dão muito certas para eles. No caso, Hillary está começando a ir muito mal em diversas pesquisas com as últimas revelações.

chart
Pesquisas diárias mostram que Trump está abrindo grande diferença na reta final em relação à Hillary Clinton. Isso está assustando o partido Democratas, a ONU, a União Europeia, a Eurásia, a China e outros países que dependem dos democratas no poder nos Estados Unidos para continuar alimentando seus regimes socialistas

 

Deixe uma resposta