Sem educação ficaremos de mãos atadas
Editorial

Os sem educação e o futuro do Brasil

EDITORIAL

Sem educação não iremos longe. E o atual estado de coisas na educação é de trevas. Chegamos a isso por um plano internacional que foi importado da Eurásia para o Brasil: a guerra cultural. Agora será preciso renovar o nosso senso de liberdade, ainda que seja tarde.

Os vídeos que ilustram esse editorial mostram que o nosso futuro está comprometido. É possível observar todos os fatores que levarão esses jovens a uma guerra civil no futuro. A pacificação do país será absolutamente necessária. Não poderemos mais entregar o poder na mão dos tiranos da esquerda.

Os sem educação como um projeto arbitrário

O Brasil, parte da civilização ocidental, um país cristão de grandes proporções territoriais, é um país incrível. Para torná-lo menor do que poderia ser, globalistas, no passado, por meio da KGB, implantaram a subversão na educação.

Essa educação vem sendo subvertida ainda mais nos últimos anos com as tais “diretrizes da ONU”. Que parecem cada vez mais dedicadas para criar um governo único mundial, reduzindo a ideia de estado-nação a pó.

Esse plano, que foi delineado tão bem por Lenin e Stalin de internacionalização de uma ideologia global, está sendo montado na prática. Putin hoje é o maior líder estrategista mundial. E ele tem dado um nó tático em todos os demais líderes mundiais.

No último dia 22 de setembro, um bombardeiro russo passou da Noruega até Portugal, voando pela Espanha. Foi acompanhado por jatos da força aérea francesa. Você sabia disso? Agora você está sabendo pelo Avança Brasil. É uma informação preocupante. Mas os professores dessas escolas não querem que os alunos saibam dessas coisas.

O projeto subversivo de formação de ignorantes já foi denunciado até mesmo por Pink Floyd em uma de suas músicas mais famosas. Ele tem reduzido o nosso país a pós, terminando com o conhecimento e a nossa capacidade de evolução.

Enquanto jovens ignorantes buscam um mundo revolucionário, o povo brasileiro que trabalha busca uma evolução real. É uma pena que tenhamos chegado a isso.

Os sem educação vão preferir tiranos autoritários à democracia

Nos vídeos acima, Arthur do Val, do canal Mamãe Falei resolve provocar com perguntas os alunos. Demonstra a ignorância e a manipulação. Fala a verdade e é punido. Sofre perseguição. É censurado, golpeado, finalizado com golpe de jiu jitsu. Tudo isso por “alunos pacíficos”.

A subversão, a falta de moral, a ética, a mentira, a ira, o ódio, a inveja e absolutamente tudo de ruim habita a cabeça dessa juventude. Não há moral. Não há ética. Não há o princípio da não-agressão, o elemento básico que cobre a nossa liberdade.

Arthur se prepara para essas situações e não reage. Está sempre cercado de gente que produz provas e fotografias, mostrando exatamente a agressão de jovens sem educação. São jovens que, no futuro, irão votar em tiranos socialistas que irão se perpetuar no poder. A isso damos o nome de Guerra Cultural. E ela já começou. Mas não foi agora, como alguns acham que é. Ela começou faz tempo.

Os sem educação e a PEC 241

O vídeo também denuncia a falta de conhecimento, fruto da manipulação, que habita a cabeça desses jovens. Eles acreditam que o Brasil é um país sem lei. E que assembleias de alunos podem decidir o que quer que seja.

Esse princípio de assembleias decidindo coisas pelos outros é a sovietização da sociedade. O regime soviético massacrou o seu próprio povo a partir dessas decisões de hordas raivosas. O experimento social que Arthur fez com esses jovens mostra o que aconteceria num país onde houvesse uma juventude nazista.

O Brasil tem uma juventude socialista. E ela não é diferente. Ela está sendo preparada para a revolução, para a luta revolucionária. Tudo em nome de um futuro comunista, com Lula presidente em 2018 e outros absurdos que só podem habitar a cabeça da esquerda.

Desfazer a lavagem cerebral é o primeiro passo para acabar com os sem educação

Não será tarefa fácil. Os comunistas ainda têm poder no Brasil.

A guerra cultural mostra que há uma tentativa de construção de uma elite vermelha. E isso já tem muitos anos. O Brasil vem sendo preparado por comunistas para fazer a elite universitária desejar cargos públicos em vez do empreendedorismo.

Muitos jovens deixam as universidades e só despertam para essa realidade depois dos 30 anos. É a nossa meta baixar essa idade, levando a mais gente a mensagem de liberdade, igualdade e fraternidade. A guerra cultural é exatamente contrária aos três poderes em equilíbrio e ao estado-nação. Ela pretende entregar o Brasil como um jardim de minérios para a elite eurasiana dos BRICS. Essa realidade precisa mudar.

Os sem educação podem ficar sem ENEM

Como já não estão estudando mesmo, fazer o ENEM seria inútil. E o Brasil perde tempo de novo, deixando de formar novos profissionais e criando futuros assessores de políticos de esquerda.

É merecido. Eles precisam aprender que o Brasil está perdendo tempo com joguetes políticos nos quais eles nem deveriam estar envolvidos. Tiveram seus corações e mentes sequestrados por sociopatas políticos. É preciso resgatar a juventude do Brasil sem educação.

Para piorar, o Brasil está educando estrangeiros em matérias absolutamente bizarras, voltadas para formar uma elite vermelha. Serão 20 ou 30 anos para conseguirmos reverter esse processo.

Para os sem educação, um ensino médio que prepare para a vida

A vida é tarefa árdua. É eterno labutar na pedra bruta. Os sem educação do Brasil precisam focar nas matérias importantes e precisam estudar o que interessa. Não dá mais para termos gente incapaz de ler um texto longo como esse. Não podemos ter alunos incapazes de resolver uma equação simples ou de interpretar um gráfico.

O Avança Brasil apoiou a reforma educacional de Temer em conjunto com o Convergências: um grupo que reúne diversos movimentos que lutam pela liberdade, pela igualdade e pela fraternidade. Veja em nosso post abaixo.

Queremos um Brasil que avance. Para tanto, não há alternativa que não o investimento de nossos esforços numa educação que reduza a nossa aflição. Não há luta maior para um maçom do que a luta contra a ignorância, a tirania e o erro. E estamos ignorantes demais nesse momento para não fazermos nada.

Que espalhemos a luz!

O depoimento da professora abaixo é preocupante. Teremos muito trabalho pela frente.

 

 

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.